Neto sai em defesa de jogador do Palmeiras e dispara ” Uma trairagem o que fizeram com o Zé Rafael”

No último domingo (07), aconteceu no Allianz Parque o segundo jogo da semifinal do Paulistão a decisão acabou indo para os pênaltis, devido ao empate em 0 a 0 no tempo regulamentar tanto na partida de ida quanto na de volta.

Tathiane Marques
Colaborador do Torcedores

Crédito: Reprodução/Band

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!

Nesta segunda-feira (08), no programa “Os Donos da Bola”, o apresentador Neto falou sobre as penalidades da semifinal do Campeonato Paulista entre Palmeiras e São Paulo.Parabenizou o Tricolor pela conquista da vaga e  voltou seu foco para os batedores de pênaltis do lado palmeirense, os jogadores que converteram foram Bruno Henrique, G.Gomez, Diogo Barbosa, já os que não tiveram sucesso Ricardo Goulart e Zé Rafael.

E sobre esse último atleta, Neto disparou “Foi uma trairagem o que fizeram com o Zé Rafael”, ” Ele nem estava escalado para bater, trairagem”

E continuou enfático em sua opinião: “Felipão, você colocar o Zé Rafael e que toda a coletiva você briga quando a imprensa pergunta pra você ‘Pow por que você não coloca o Zé Rafael?’ A imprensa não manda, o torcedor não manda, quem escala aqui sou eu. Aí você vai numa semifinal de campeonato, o Palmeiras já perdeu pro Corinthians o ano passado no Allianz Parque. E você vai e coloca o menino numa fria dessas de bater o sexto pênalti invertido”.

O apresentador não poupou críticas aos jogadores que não bateram os pênaltis e criticou principalmente os grandes medalhões do elenco do Verdão.

“Por que o senhor não foi bater Felipe Melo? Você não é o machão? Você não é o bonzão? Que bate em todo mundo. Por que você não foi bater Dudu? Já que você é o craque do time e ganha dois milhões por mês. Por que o Lucas Lima não foi bater? Ele que ganha um milhão por mês. Por que o Deyverson não foi bater? Aí vocês deixaram o Zé Rafael bater o pênalti que ele não jogou e que ia embora do Palmeiras, vocês arrebentaram o menino. Arrebentaram o menino e não era pra ele bater, quem tinha que bater era os caras, os feras, as cobras criadas, mas as cobras criadas pipocaram como sempre pipocam, sempre pipocaram”.

LEIA MAIS:

São Paulo se reafirma como carrasco de Felipão em mata-mata; relembre