Le Monde Diplomatique Brasil: capa racista gera indignação e protesto de ativistas negros

Crédito: Reprodução

“Ao receber a Le Monde sentimos: decepção, raiva, indignação, desânimo. Somos leitoras e leitores da Le Monde. Temos a revista como referência nas abordagens consistentes e reflexivas que são feitas sobre assuntos que a grande mídia é incapaz de fazer. A revista referência nos causou enjoo com sua capa RACISTA.” É assim que começa o vídeo manifesto produzido por ativistas negros em resposta a capa da última edição da revista Le Monde Diplomatique Brasil, que traz uma ilustração do cartunista Jaguar.

Anteriormente, em março de 2007, em entrevista para o jornal “Folha de S.Paulo”, o cartunista deu a seguinte declaração quando questionado sobre suas ilustrações polêmicas – “Mas, a maioria dos humoristas hoje é muito certinha. Criou-se um limite e, se a gente passa um pouco, leva pito. Eu não levo mais porque sou velho e sou o Jaguar. Aí as pessoas dizem: ‘Ah, é o Jaguar, deixa ele'”.

“Meu pai é trabalhador. Vocês acham que meu pai tem essa cara?’. A capa produzida por essa revista – que temos como referência – não necessita de análises semióticas profundas para vermos o quanto RACISTA ela é. Nem a Veja produz capas tão grotescas quanto isso que tivemos que ver”, indagam os ativistas aos editores da revista que nada souberam responder.

O protesto aconteceu no 6º Seminário Público – Direitos Trabalhistas: 100 anos de retrocesso? realizado pela própria revista no último dia 10 de outubro, no Instituto Polis, em São Paulo. A capa de cunho racista gerou indignação e revolta em militantes dos direitos humanos. A revista se pronunciou em nota sobre o ocorrido lamentando como uma “iniciativa infeliz” (abaixo segue a retratação na íntegra) e está organizando para hoje o evento Debate: mídia e racismo, que acontece a partir das 19h30, na sede da Le Monde.

A redação do Ondda entrou em contato por e-mail com a Le Monde Diplomatique Brasil e até o final dessa matéria não houve retorno da revista.

Nota de retratação – Le Monde Diplomatique Brasil

Recebemos com apreensão os comentários de que havíamos nos tornado racistas. O jornal Le Monde Diplomatique Brasil sempre esteve solidário ao movimento negro, às mobilizações das jovens mulheres negras, engajado na campanha contra o extermínio da juventude negra, e em defesa dos direitos de cidadania.

Quanto à capa, nós a consideramos uma iniciativa infeliz e lamentamos ter sido considerada racista e queremos pedir desculpas aos nossos leitores. Acolhemos a crítica, reconhecemos o erro e entendemos que essas são reações vindas de quem vive na pele, no dia-a-dia, as discriminações odiosas e classistas contra os negros e as negras no Brasil.

Acreditamos que a melhor maneira de enfrentar esta questão é abrir as páginas do jornal para publicarmos os argumentos que nos criticam, ampliando o espaço deste importante debate público.

Queremos convidar a todos e todas que se manifestaram, e a todos e todas que se interessarem, a participar de um debate sobre MIDIA E RACISMO, dia 17 de outubro, segunda-feira, às 19:30 horas, em nosso auditório, à Rua Araújo 124.
Com transmissão AO VIVO:
www.diplomatique.org.br