Exército Britânico tem pela primeira vez uma mulher trans na sua linha de frente

Crédito: Reprodução/The Sun

Pela primeira vez na história, o exército da Grã Bretanha aceitou uma mulher transgênero em sua linha de frente. Chloe Allen foi registrada como sendo do sexo masculino ao nascer e ingressou nas Guardas Escocesas em 2012, ainda com identidade masculina. Segundo Chloe, é uma honra ter a possibilidade de abrir precedente e paralelamente continuar o serviço militar.

Desde muito cedo, a militar sentiu que não pertencia ao gênero que lhe foi atribuído no nascimento. Há cerca de um mês, ela iniciou a terapia hormonal e mudou oficialmente de nome – inclusive em seus registros militares. “Toda a minha documentação com o Exército, dentro do batalhão, foi mudada e resolvida. Meu passaporte também será alterado em breve”, disse ela. “É maravilhoso dizer tudo o que eu sempre quis dizer e ainda servir na infantaria”, acrescentou.

O Exército britânico mantém uma política específica para homens e mulheres militares transgêneros desde 1999. No ano passado, a capitã Hannah Winterbourne, que se tornou a militar transgênero com a mais alta patente no Exército britânico, falou de sua transição e também como se tornou modelo para outros militares transgêneros. “As Forças Armadas estão provando ser uma organização inclusiva onde todo mundo é bem vindo e pode crescer [na carreira]”, acrescentou James Everard, comandante da unidade de Exército de campanha do Reino Unido.

Veja reportagem da BBC (infelizmente em inglês):