Estudante perde a visão após ser ferida pela PM em manifestação contra Temer

Crédito: Rovena Rovena Rosa/Agência Brasil

A estudante Deborah Fabri, 19 anos, foi ferida por uma bomba lançada Polícia Militar e perdeu a visão do olho esquerdo enquanto protestava contra o governo Michel Temer, no Centro de São Paulo, na noite da quarta-feira (31).

Testemunhas que socorreram a jovem relataram nas redes sociais que ela foi atingida pela Polícia Militar – ou por estilhaços de bombas lançadas pelos policiais ou por bala de borracha. Procurada, a Secretaria da Segurança não se posicionou. Deborah foi levada para o Hospital das Clínicas, onde passou por exames. Depois recebeu atendimento no Hospital de Olhos, de onde saiu no final da manhã desta quinta. O Hospital informou em boletim médico que a paciente “foi internada em nosso serviço às 2h37 do dia 1º de setembro de 2016, com trauma na região da face, escoriações nas pálpebras e região malar esquerda, e lesão perfuro contusa no olho esquerdo”. Deborah passou por cirurgia de urgência.

Além de Deborah, uma manifestante foi atropelada durante o protesto, dois fotógrafos foram detidos – tendo um deles seu equipamento completamente destruído pelos policiais militares. Nas redes sociais, manifestantes que participaram do ato relatam a truculência e abuso de autoridade por parte da Polícia Militar.

A jovem postou em uma rede social a mensagem: “Oi pessoal estou saindo do hospital agora. Sofri uma lesão e perdi a visão do olho esquerdo mas estou bem. Obrigada pelas mensagens e apoio logo logo respondo todos!!!“. Ao menos 20 mil pessoas participaram do ato, segundo a Frente Brasil Popular e a CUT. A PM não divulgou números.

Vale lembrar que há três anos, o fotógrafo Sérgio Silva perdeu a visão também do olho esquerdo quando foi atingido por um estilhaço de bomba da Polícia Militar durante as manifestações de julho de 2013, no Centro de São Paulo.