Teatro da Conspiração apresenta adaptação de livro infanto-juvenil que trata sobre o amor entre duas mulheres

Crédito: Divulgação

Como inventar histórias que convidem crianças e adultos a refletir sobre as múltiplas possibilidades de afeto entre pessoas? Essa é uma das principais preocupações do espetáculo infantil A princesa e a costureira, em temporada na Sala Jardel Filho do Centro Cultural São Paulo até setembro. Adaptação do livro homônimo da psicóloga e escritora Janaína Leslão, a peça conta a história da jovem princesa Cíntia, que está prometida em casamento para o príncipe do reino vizinho, Febo. Mesmo não o amando, ela se resigna a ter como companheiro de vida seu melhor amigo. Porém, durante os preparativos para a cerimônia, Cíntia se apaixona por Isthar, costureira responsável por confeccionar seu vestido de noiva. Ao longo da encenação, dirigida por Antonio Correa Neto e com dramaturgia de Solange Dias, os atores Erika Coracini, Marcio Ribeiro e Mariana Sancar se alternam na interpretação de todos os personagens, num jogo cênico que sugere a necessidade de nos colocarmos no lugar do outro para entender as diferentes formas de ser.

O Teatro da Conspiração de Santo André é o grupo responsável pela encenação do conto de fadas de Leslão – a primeira obra literária voltada ao público infanto-juvenil no Brasil a abordar um relacionamento amoroso entre duas personagens femininas. Formada dentro do Núcleo de Montagem da Escola Livre de Teatro de Santo André e com mais de 15 anos de trajetória, a companhia tem em seu repertório espetáculos adultos e infantis, além de atividades relacionadas à contação de histórias. Com o projeto para a realização do novo trabalho, o coletivo recebeu o PROAC /2015 – Apoio a projetos de promoção das manifestações culturais com temática LGBT, da Secretaria da Cultura do Governo do Estado de São Paulo.

O debate sobre a diversidade sexual e de gênero no universo infanto-juvenil vem ganhando cada vez mais espaço no CCSP há pelo menos um ano e meio, devido à criação do projeto curatorial Teatro jovem, que procura fortalecer, por meio de espetáculos, discussões e oficinas teatrais, o diálogo com o público adolescente. As montagens do projeto – como Fortes batidas, criada especialmente para o Centro Cultural e que reproduzia uma balada, e Godofredo e Alice, uma fábula musical sobre o amor entre adolescentes transexuais – trazem sempre jovens artistas em seus elencos e tratam de questões próprias da adolescência, como os conflitos relacionados à expressão de gênero e vivência do desejo sexual.

A temporada de A princesa e a costureira estende à infância a importância de se falar sobre a aceitação das diferenças não apenas por meio das apresentações. Dando prosseguimento ao ciclo de debates ARTE&SEXUALIDADE, realizado no ano passado em diálogo com o projeto Teatro jovem, a curadoria de teatro infanto-juvenil prosseguirá este ano com a temática LGBT, agora com foco no teatro infantil. O primeiro encontro, no dia 19 de agosto, contará com a presença de parte da equipe de A princesa e a costureira e da crítica de teatro infantil Mônica Rodrigues Costa. Janaína Leslão também virá ao CCSP para o lançamento do livro, seguido de debate, no dia 27 de agosto, quando também entra em cartaz a mostra de fotografia Gênero, direitos sexuais e cidadania de mulheres lésbicas e bissexuais, uma parceria com a Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres (SMPM).

Serviço
A princesa e a costureira
Data: Até 4 de setembro de 2016, sábados e domingos
Horário: 16h
Local: Sala Jardel Filho (321 lugares)
Classificação: livre
Ingressos: R$20,00 – a venda estará disponível na bilheteria em seu horário de funcionamento (terça a sábado, das 13h às 21h30; e domingos, das 13h às 20h30), e no site Ingresso Rápido a partir de 30 dias antes do evento (mesmo no caso de temporadas longas) – preço popular: R$3,00 (dia 23/7) – serão vendidos apenas dois ingressos por pessoa, na bilheteria do CCSP, que será aberta somente duas horas antes do início do espetáculo – os ingressos não estarão disponíveis pela internet.

Centro Cultural São Paulo
Rua Vergueiro, 1000 – Liberdade
Informações ao público: 3397-4002
Informações à imprensa: Vinícius Máximo (3397-4063/4066)

Possui restaurante, ar-condicionado, banheiros e elevadores adaptados
Não possui estacionamento ou local para fumantes