Passou da hora de deixar que a fama apague as marcas de abusos

Crédito: Visualhunt

O ator e diretor Mel Gibson humilhava sua namorada Oksana Grigorieva dizendo que ela parecia uma prostituta com seus “peitos falsos”. Além disso, Gibson ameaçou enterrar a mãe de sua filha de oito meses em um jardim de rosas e disse que se ela sofria agressões era porque “merecia”. Na última fita que vazou na internet, o diretor de “Paixão de Cristo” aparece dizendo que achava absurdo Oksana ter ido dormir sem antes ter feito sexo oral nele.

 O rapper Chris Brown, até então namorado da Rihanna, a espancou – com direito a socos, mordidas e pontapés. Poucos dias depois da agressão, o site “TMZ” divulgou a foto da garota completamente desfigurada. Chris confessou ter agredido a ex e foi condenado a cinco anos em liberdade condicional, além de seis meses de trabalhos comunitários. “Sinto muito e tenho muita vergonha do que fiz”, disse ele em comunicado público.

 Woody Allen seduziu sua enteada Soon Yi quando ela ainda era menor de idade. Na época ele largou a atriz Mia Farrow, sua então esposa, e foi viver com Soon, com 16 anos. Ano passado a filha adotiva do casal, Dylan Farrow, veio a público declarar que foi abusada pelo diretor quando tinha sete anos.

 O cineasta Roman Polansky na década de 70, dopou com barbitúricos e estuprou uma menina de 13 anos.

 Mike Tyson foi condenado a seis anos de detenção por estuprar a modelo Desiree Washington num quatro de hotel em Indianapolis, em 1991. Ele cumpriu 3 anos da pena preso. Sem contar as inúmeras agressões a ex-mulher.

 O rapper Eminem tem muitas denúncias de violência doméstica contra sua ex-esposa e fez até uma música, que leva o nome da moça (Kim), contando sobre seu desejo de matá-la brutalmente. Praticamente todas suas músicas têm no mínimo um verso misógino.

 Tommy Lee espancou diversas vezes Pamela Anderson, sua esposa na época, inclusive enquanto ela estava grávida.

 Caetano Veloso começou a se relacionar com a empresária e produtora cultural Paula Lavigne quando ela tinha 12 anos e ele 39. No seu aniversário de 40 anos, Paula então com 13 ” deu de presente” sua virgindade para o cantor.

 John Lennon foi acusado de agredir fisicamente sua primeira esposa, Cynthia, diversas vezes. E Yoko Ono, sua segunda esposa, era controlada e vigiada por ele, a ponto de ter que acompanhá-lo em todos os lugares, incluindo banheiros públicos. Lennon alegava que não queria que a mulher fosse assediada por outros homens.

 Jimmi Page sequestrou, com a ajuda de seu roadie, uma garota de 14 anos e manteve relações sexuais com ela por um longo período.

 Netinho de Paula, vocalista de uma banda de pagode famosa na década de 90, espancou sua esposa, chegando a quebrar o nariz da moça. Ele nunca cumpriu pena pelas agressões e ainda se candidatou a deputado estadual nas últimas eleições.

 Foi necessário o Bill Cosby confessar que dopou e fez sexo com uma mulher pra que as pessoas começassem a acreditar nas vítimas, mesmo depois de mais de 25 mulheres o terem acusado de abuso sexual no curso de várias décadas.

 Eu poderia ficar aqui até o final do ano fazendo uma lista interminável de agressores famosos. Mas não, não vou fazer.

 Estava pesquisando sobre casos de famosos que agrediram mulheres. E nenhum desses casos são lembrados em suas biografias. Nem nas Wikipédias da vida eles são mencionados. As pessoas simplesmente esquecem e esquecem porque acreditam que a genialidade desses homens é superior a tudo. Esquecem porque as vítimas desses algozes são mulheres e infelizmente nossas vidas são esquecidas e ceifadas por esse sistema que endeusa abusadores. O valor de nossas vidas é diminuído através da falsa ideia de que a culpa dos abusos que sofremos é nossa, não dos abusadores.