Feminaria: primeiro coworking exclusivo de mulheres será inaugurado em SP

Crédito: Reprodução/ Facebook Feminaria

Tudo começou com um sonho e um desejo: mudar a realidade da mulher no mercado de trabalho. Preocupada e consciente com a disparidade salarial e a exploração da força de trabalho feminina, a advogada Ana Carolina Moreira Bavon criou, com a ajuda de uma amiga, um grupo colaborativo exclusivamente de mulheres no Facebook: o Feminaria. A ideia inicial do grupo era ajudar e orientar empreendedoras com relação a questões jurídicas e também unir mulheres com espírito colaborativo e engajadas na empatia.

O grupo criado em abril cresceu rapidamente e começou a atrair profissionais de todas as áreas – de chef de cozinha a designer gráfico querendo não apenas fomentar seus negócios, como também ajudar outras mulheres a transformarem seus sonhos em realidade. Dessa forma essas mulheres empreendedoras foram se ajudando e colaborando para o crescimento profissional umas das outras. O grupo também sempre ofereceu estrutura para que essas profissionais conseguissem desenvolver seus projetos com sucesso. Constantemente, profissionais ofereciam orientação, consultoria e apoio para as integrantes do grupo.

Com o crescimento do projeto e 4500 profissionais cadastradas no grupo, as parcerias começaram a surgir: em maio, a empresária e consultora de marketing Marcela Anghinoni, proprietária da empresa Vox, chegou ao grupo e trouxe toda sua experiência na área. Foi criado então um código de ética e desenvolvido, de maneira formal, todo o projeto da Rede Feminaria, que incluía eventos de networking, cursos, palestras e uma sede física. Foi criada também uma página para divulgar o trabalho desenvolvido pela rede, além de facilitar a aproximação e a comunicação entre mulheres.

Atuando na esfera corporativa e tendo contato com grandes empresas, Ana Carolina sentiu a necessidade imperiosa de dar voz àquelas pequenas empreendedoras; mulheres com grande talento e potencial que carecem de algum conhecimento mais técnico e específico. Um dos maiores obstáculos encontrados por essas mulheres é o apoio na tomada de decisões, no desenvolvimento de estratégias e principalmente no reconhecimento do seu produto como negócio.

Com uma carreira consolidada, a advogada não pensou duas vezes: pediu demissão do trabalho formal em que era gestora jurídica – com salário bastante razoável, estabilidade e reconhecimento – e se jogou “nos braços do destino”, como gosta de falar. Começou a procurar uma casa que pudesse acolher a Feminaria e todas as suas demandas. Encontrou um charmoso sobrado no bairro da Aclimação, na zona central da capital paulistana e nasceu assim a  Casa Feminaria – primeiro coworking exclusivamente feminino de São Paulo. Coworking  é basicamente um novo modelo de trabalho que tem o objetivo de incentivar a troca de ideias, compartilhamento, networking e colaboração entre profissionais de diferentes áreas.

A Casa Feminaria tem como objetivo fomentar o desenvolvimento profissional feminino, oferecendo orientação, inspiração, apoio e empoderamento a mulheres com grande talento e potencial, mas que carecem de algum conhecimento mais técnico específico. A casa também vai disponibilizar consultoria para empresas, com intuito de reeducá-las sobre as políticas corporativas no que se refere à contratação de profissionais, e gestão interna focadas no novo cenário.

A inauguração da sede acontece nesse sábado, dia 3, a partir das 14 horas, com Open House Casa Feminaria – uma festa divertida com muita música e open bar. A Casa Feminaria fica na Rua Inglês de Souza, 14 e a entrada do evento é gratuita. Para mais informações acesse o site www.feminaria.com.br